sexta-feira, 22 de junho de 2012

Música clássica e Arteterapia na Famosp

Na aula passada da Famosp utilizamos músicas clássicas, obras de arte e as alunas pintaram com aquarela.






A outra atividade foi com música clássica e materiais diversos: sal, açucar, pimenta, chocolate, café, limão,

  
café
açucar tingido com corante

 

Arte em forma de tempero

Vejam como é o inconsciente coletivo...

Na Faculdade Famosp propus na aula desta semana, uma atividade com música clássica e sentimento utilizando  recursos  do "paladar" para criar  produções plásticas. As alunas utilizaram o sal, açucar, chocolate, café, pimenta... Coincidentemente no facebook, recebi a dica da Arteterapeuta e também professora da Famosp - Márcia Melo de Araujo, os trabalhos da fotógrafa.

A fotógrafa Kelly McCollam  criou uma série de fotografias usando apenas temperos para recriar os quadros mais famosos do Van Gogh.

O trabalho vai além de captar imagens de belas paisagens. Com pitadas de sal, açúcar e especiarias coloridas, Kelly reconstrói a textura das paisagens reproduzidas em telas pintadas por artistas consagrados.







fonte: http://www.kellymccollamphotography.com/Kelly_McCollam_Photography/My_Albums/Pages/The_Spice_of_Life.html

Entrevista sobre Recursos artísticos no referencial winnicottiano

Data: 12/06/2012


Entrevista sobre o Projeto de Extensão "Atendimento psicológico a famílias por meio de recursos artístico-expressivos com base no referencial winnicottiano" na Rádio UEL, veiculada hoje da psicóloga e arteterapeuta Maíra Bonafé Sei.


http://www.uel.br/uelfm/​audios/​13649-12-06-12_uel_fm_noticia_p​ara_site.mp3

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Aula de Dança Circular na FAMOSP

Na aula do dia 12/06/2012 incentivei os alunos de Pós-Graduação em Arteterapia da Famosp criarem o centro da roda para as Danças Circulares, com o tema de AMOR para o Dia dos Namorados.



Dançamos algumas músicas:
O amor - de Fábio Jr.
Zemer Atik- Israel
Hotaru Koi - Japão



Na música " Hotaru Koi" do Grupo Mawaca, antes de dançarmos, cada aluno pode reacender, dar novo impulso, vigor novo a sua luz interna e com as chamas da vela (fogo) puderam associar ao arquétipo da iniciação, a saída de um mundo, de uma condição para entrar em um novo, novas energias para o amor... transformação.




As mãos sempre tiveram seu destaque

14/06/2012 17h06- Atualizado em 14/06/2012 18h38

Arte rupestre encontrada na Espanha tem 40 mil anos, diz estudo

Acreditava-se que arte mais antiga tinha entre 30 mil e 35 mil anos.
Datação por urânio foi usada por falta de pigmentos orgânicos
.

Marcas de mãos foram encontradas na caverna de El Castillo, na Espanha. A arte rupestre foi considerada uma das mais antigas do mundo, com 40.800 anos (Foto: AFP)

Um estudo revelou que a arte rupestre começou há pelo menos 40 mil anos, entre 5 mil e 10 mil anos mais cedo do que se acreditava anteriormente, e que ela pode ter sido feita por neandertais. A pesquisa da Universidade de Bristol, na Inglaterra, foi divulgada nesta quinta-feira (14).
Métodos tradicionais de datação - com radiocarbono, por exemplo - não puderam ser usados devido à falta de pigmentos orgânicos. Por isso, um grupo de cientistas da Universidade de Bristol, na Inglaterra, usou a datação por urânio.
A equipe liderada pelo cientista Alistair Pike estudou 50 pinturas em 11 cavernas europeias.
A arte mais antiga, datada de 40.800 anos, está em uma parede em El Castillo, no norte da Espanha. Pela data, elas foram feitas ou pelos primeiros humanos anatomaticamente modernos ou por neandertais, conforme o estudo.


fonte:http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2012/06/na-espanha-primera-arte-rupestre-do-mundo-tem-40-mil-anos-revela-estudo.html

domingo, 10 de junho de 2012

Oficina - O papel Educativo da Brinquedoteca

No dia 28/05/12 realizei a Oficina "O papel educativo da Brinquedoteca" para as educadoras da Instituição NADHU - Núcleo de Apoio e Desenvolvimento Humano. 

Ao todo são 3 creches - Ver. Shiro Kyono, Antonio Elpídio da Silva e Irmã Angélica.





Foram cerca de 40 educadoras e foi realizada na sede da Creche Antonio Elpídio.
As educadoras resgataram suas principais brincadeiras da infância através da visualização e depois expressaram no desenho.

Posteriormente dei um tempo para elas vivenciarem estas brincadeiras.
Mostramos também slides e exemplificamos com relatos das próprias profissionais e outros relatos.

A Arteterapia se consolidando...


A arte que pretende curar

Estratégia que leva linguagem diferente à terapia tradicional, facilita aos pacientes a exposição de problemas; na UEL, clínica oferece atendimento a famílias por meio da técnica
Se a terapia tradicional pode ser um pouco dolorosa para os pacientes, um bom caminho para mudar isso é a arteterapia. A psicoterapia que utiliza a expressão artística como tratamento surgiu no começo do século passado em São Paulo e no Rio de Janeiro. Segundo a psicóloga Maíra Bonafé Sei, doutora em psicologia clínica e autora de publicações na área, a arteterapia leva uma linguagem diferente para o tratamento do paciente. “Além da comunicação verbal você tem atividades, materiais que facilitam a comunicação, especialmente quando a gente tem pessoas que precisam desse outro meio para se comunicar.” É um mecanismo, segundo ela, que facilita principalmente a comunicação com as crianças.
A Clínica Psicológica da Universidade Estadual de Londrina (UEL) começa a desenvolver um projeto de extensão que propõe o atendimento a famílias a partir da arteterapia. “São os estudantes, participantes desse projeto, que realizam o atendimento às famílias, que são encaminhadas a eles ou procuram espontaneamente a ajuda”, explica a psicóloga.
“Não fica cutucando a ferida”
Em Londrina a arteterapia ainda está dando os primeiros passos, mas Silvia Maria Moreira, moradora de São José dos Campos, já conhece os seus benefícios há 16 anos. Silvia ficou sabendo da existência da arteterapia e foi procurá-la para ajudar o filho, Fernando, que na época tinha 8 anos. “Ele é adotivo e estava passando por um processo de entendimento [da própria realidade]. E eu não sabia como funcionava terapia para crianças nessa idade.” Segundo Silvia, em aproximadamente quatro meses, o menino já começou a entender e aceitar o que se passava à sua volta. Silvia também precisou da ajuda da arteterapia anos mais tarde. “Comigo foi mais a parte de plástica e desenho. E funcionou, pois eu sempre tive muita dificuldade de me expor, e o desenho não nos deixa mentir.” Para ela, todo o êxito do tratamento foi devido a essa maneira diferente de atender que a arteterapia tem. “Porque foi sem sofrimento, suave. Não teve aquela coisa da terapia tradicional, de ficar cutucando a ferida da pessoa. Foi ótimo para ele e para mim também.”

Núcleo oferece especialização
O Núcleo de Arte e Educação (Nape), de São José dos Campos (SP), vai oferecer a partir de agosto em Londrina um curso de pós-graduação em arteterapia. Segundo a psicóloga e arteterapeuta Fabíola Gaspar, coordenadora do curso, pessoas de várias áreas podem participar. “Todos os profissionais graduados e interessados no curso podem fazer a especialização, sejam das mais diferentes áreas [artes, educação, saúde, social, comunicação e afins]. Não há necessidade de habilidades artísticas por parte do aluno.”O curso terá a duração de 18 meses, com aulas nos fins semana, e inclui supervisão de estágio. Em São José dos Campos, o curso já está na sétima turma. Os interessados devem enviar para o Nape os documentos necessários para a inscrição. A relação desses documentos pode ser encontrada no site www.napesjcampos.com.br. As aulas terão início no dia 25 de agosto.
Em fevereiro começou a qualificação dos alunos que fariam os atendimentos e desde o início de maio alguns já estão atendendo. É o caso de Salomé de Moura Fereli, estudante do quinto ano de psicologia. Apesar do pouco tempo, ela diz gostar da experiência. “Estou achando o máximo, porque a pessoa coloca no desenho ou na construção [referindo-se à expressão artística] coisas que ela nem imagina. Depois que você começa a conversar, ela começa a falar. Se fosse uma abordagem direta, dificilmente a pessoa traria tão facilmente aquela informação.” No momento Salomé está na terceira semana de atendimento a uma família, composta por um casal e seu filho. A estudante ainda ressalta que, para ela, o diferencial é usar as técnicas da arte, como giz, tinta, colagem e recortes. “Na arte a pessoa não tem muito filtro. Se ela tem dificuldade de expressão verbal, a emoção flui normalmente pela arte.”
“No processo arteterapêutico fortalecemos as potencialidades do indivíduo. A arteterapia é preferencialmente assentada nas artes plásticas e visuais. A dança, música e o teatro são complementos dentro da arteterapia”, explica Fabíola Gaspar, que mantém em São José dos Campos (SP) o Núcleo de Arte e Educação e, em agosto, vai oferecer uma pós-graduação na cidade (leia texto ao lado). Ela afirma que a função da arteterapia é reconhecer a fragilidade da pessoa e trabalhar no sentido de fortalecer o lado restaurador.

Serviço: Quem desejar o atendimento da arteterapia deve procurar a Clínica Psicológica da UEL. O telefone é (43) 3371-4237.

AACD promove Séminário de Arte-Reabilitação em Agosto

Seminário Arte-Reabilitação: Estudo de Casos
10 e 11 de Agosto de 2012
AACD - SP



Maiores informações: http://www.aacd.com.br/voce_cursos_seminarios.asp?curso_id=357